Em Março de 1993, o Super Nintendo recebeu o seu primeiro jogo com o Chip Fx. Seu nome era Star Fox, um jogo cujo legado atravessou gerações de consoles com mais cinco títulos para diversas plataformas. Com quase vinte anos de idade, o primeiro Star Fox ainda continua encantando jogadores novos e antigos, e é com a intenção de trazer boas lembranças e dicas para todos os leitores .

A Minha História sobre Star Fox                                                                  

Em meados de 1993, no auge da minha vida com um Super Nintendo (dez horas por dia de Super Nintendo! Brincadeira!) houve uma feira de games na minha cidade (Santos/São Paulo), algo inédito não somente em minha vida, mas na de muitos garotos naquela época, contando que conseguíamos ver essas feiras de games somente por revistas (E3) ou histórias de amigos, que por muitas vezes eram lendas (lembro-me de uma história que um amigo contou sobre uma feira de Arcades que tinha o jogo Mortal Kombat VS Street Fighter). Como um bom garoto, acabei indo visitar a feira, que contava com vários consoles à venda, fliperamas para jogar, lançamentos de games (Batman Returns era um desses lançamentos) e um jogo que era o destaque da feira chamado: Star Fox.


O foco dos vendedores na feira era justamente sobre o Chip FX (que irei explicar em breve), que na sinceridade não me interessava, eu queria mesmo era ver o jogo, oras! E os meus olhos brilharam ao ver os gráficos poligonais e várias naves voando ao mesmo tempo com uma raposa no comando. Minha vontade era jogar aquele game a qualquer custo e, depois de uma fila de quase uma hora, consegui jogar cinco minutos do game (cinco minutos que passaram como se fossem dois segundos, afinal não vi o tempo passar). Quando terminei de jogar fiquei com uma sensação de como se estivesse no Natal na casa de um amigo. Sabe quando ele ganha aquele super presente que você tanto queria, deixa você brincar um pouco e depois você vai embora para sua casa se perguntando: por que eu não tenho um desses?

Saí do evento decidido a comprar Star Fox e tive a ideia de pedir de presente de aniversário (era março e meu aniversário em abril. Garoto esperto!). Mas infelizmente não o encontrei à venda e acabei ficando com Mortal Kombat de presente. Não que fosse ruim ter Mortal Kombat, mas Star Fox era o pote de ouro do momento. Então tive que optar por alugar na locadora, algo praticamente impossível naquela época e acredite:eu visitava sem sucesso todos os dias a locadora na tentativa de alugar (nos meus reviews sempre coloco meus traumas de locadoras). Cheguei a conversar com o dono do estabelecimento e uma vez ele disse que a pessoa que alugou iria ficar vinte dias com o jogo (pagou adiantado por sinal).

Foram meses de busca, quando eu finalmente consegui alugá-lo. Posso dizer para vocês leitores que esses foram um daqueles dias que guardamos na memória e jamais esquecemos, por mais que o tempo passe. E acredito firmemente que guardar lembranças felizes, não somente de games, mas todas que tivemos por nossas vidas, mesmo as pequenas, representam o que temos de melhor e intensificam o valor de viver todos os dias.

Foram horas de alegria, mas a história ainda não tinha acabado. Praticamente vinte anos depoiseu resolvi comprar Star Fox com o intuito de fazer esse Review e para minha surpresa acabei encontrando um vendedor super- honesto vendendo o game praticamente novo, com manual e inclusive os folhetos de propaganda do Super Nintendo que vinham com o jogo na época.

Eis que finalmente estou aqui novamente para desbravar o mundo de Star Fox e postar todas as impressões, curiosidades, dicas e referências que juntei nesses vinte anos.

O Chip FX e Star Fox                                                                                      

…………………..
A tecnologia FX já vinha sendo incorporada em jogos de PC antes de estrear no Super Nintendo, mas ela foi reformulada em um chip para funcionar em conjunto com os cartuchos do videogame. O chip tinha a função de um acelerador gráfico que desenha polígonos para a memória do sistema, criando assim gráficos tridimensionais. Além disso, ele é responsável por redimensionar as imagens e aplicar efeitos de profundidade. A tecnologia aplicada a ele permitia processar algumas centenas de polígonos por segundo a poderosos 21mhz, o que era suficiente para a época, mas que de maneira alguma pode ser comparado aos jogos atuais que possuem um processamento de milhões de polígonos por segundo. O chip recebeu o nome de Super FX, teve duas versões: Super FX-1  e Super FX-2, onde o clock interno mudava minimamente de uma para a outra. É praticamente um divisor de águas na geração de games, iniciando o 3D de maneira definitiva nos consoles caseiros, e os jogos que foram produzidos com o chip em suas plaquinhas são: Dirt Racer, Dirt Trax FX, Stunt Race FX, Wild Trax, Vortex, Doom, Super Mario World 2: Yoshi’s Island, e Winter Gold.

Como o Mundo Recebeu Star Fox                                                              

O lançamento de Star Fox foi noticiado como algo revolucionário para a época, mesmo com vários lançamentos simultâneos inclusive da Sega (principal concorrente da Nintendo naquele tempo! Eu era Nintendo, hahahaha! Lero lero!). Logo recebeu o prêmio de melhor Shooter pela famosa revista Electronic Gaming Monthly, ou EGM para os desavisados; foi citado como um dos duzentos maiores jogos de videogame de todos os tempos; a revista mais famosa e crítica (chata em notas!) do Japão sobre games, a Famitsu, deu a nota 34 de um total de 40 para o jogo, que para muitos foi considerada uma nota altíssima para a época. Sua venda bateu recordes e gerou campeonatos pelos EUA e Canadá chamados, Star Fox Super Weekend.

……………………….

……………………………..

A HIstória de Star Fox                                                     

O campeonato reunia os melhores recordistas de pontos em Star Fox nos EUA e Canadá para competirem entre si, e os vencedores eram premiados com jaquetas, emblemas, e nomeados membros da Star Fox Team. Vale lembrar que nessa competição eles jogavam uma versão do game que tinha o mesmo nome do evento, Star Fox Super Weekend, que praticamente se baseava em fazer pontos. Vale lembrar, pessoal, que existem várias versões da história de Star Fox, e relatarei aqui duas delas, mas não sem antes descrever a trajetória daquele que é um dos personagens centrais destas duas versões e que, de certa forma, inicia a história desta extraordinária franquia: James McCloud, o pai de Fox.

James era um piloto de aluguel que obteve grande sucesso devido a suas habilidades de pilotagem extraordinárias. Com o tempo acabou ficando conhecido em todo o sistema Lylat e se tornou o líder de uma equipe de pilotos que ele mesmo criou chamada Star Fox Team, formada por Peppy Hare, o coelho estrategista, e Pigma Dengar, o suíno espacial. Com o tempo o time foi conquistando status e logo se deparou com uma equipe rival chamada Star Wolfs, comandada por Wolf O´Donnell, um exímio piloto que se tornaria o principal rival de James para o título de melhor piloto do sistema.

O tempo passou, e as missões completadas renderam muito dinheiro. Assim, James acabou comprando uma nave-mãe que no futuro, serviria como base para sua equipe e se chamaria Great Fox (vista durante todo o game Star Fox 64) e seria construída pelos mesmos criadores das famosas naves de combate da equipe, as Arwings. Além de equipada com fortes canhões, ela também servia de base para manutenção das naves. Com o tempo o exército percebeu o talento dos pilotos do Star Fox Team, e os contrataram para várias missões pelo sistema e com o sucesso delas, eles acabaram ganhando o título de “grupo de elite de pilotagem aérea do exército de Corneria”. Até que alguns fatos mudaram todo o rumo da história e fizeram até mesmo com que James não visse a conclusão da construção da Great Fox.

A história que se segue é a versão revisada que consta nos manuais, que se complementa em StarFox64, e que é considerada pela Nintendo como sendo a oficial.

Andross era um renomado cientista que trabalhava para o governo de Lylat System, mas confiando demais em sua genialidade, começou a realizar experimentos perigosos, e mesmo com a advertência do governo (General Pepper era seu superior, e dava-lhe constantes ordens para que ele interrompesse os experimentos) ele continuou secretamente a realizá-los até que um deles explodiu em Cornéria, matando milhares de civis. Como punição, ele foi condenado a viver exilado no planeta Venom.

Cinco anos depois, o Star Fox Team foi convocado para averiguar leituras estranhas de energia que emergiam do planeta Venom, então James, Peppy e Pigma foram até lá e encontraram uma onda gravitacional desconhecida e fortíssima. Foi então que Pigma se revela traidor, e atinge a AirWing de James fazendo com que ele fosse tragado pela onda magnética, e ele nunca mais foi visto. Peppy, com sua AirWing ainda intacta, consegue se safar, e voltando a Corneria, conta ao General Pepper (aquele cachorro) o que havia acontecido.
Pigma agora é um renegado, integrante dos Star Wolfs, e eles estão aos serviços de Andross que alguns anos depois do acontecido, revela ser possuidor de um império criado em Venom, e declara guerra a toda Lylat System mandando suas tropas atacarem primeiramente Corneria, a fonte principal de seu ódio.

Assim um novo grupo Star Fox é formado, agora liderado por Fox McCloud, o filho e de James McCloud que sonhava ser um piloto tão bom quanto o seu pai desaparecido, e formam a equipe junto com ele o próprio Peppy Hare, o único remanescente do time principal, Slippy  Toad, um gênio da mecânica que é também o melhor amigo de Fox, e Falco Lombardi, outro exímio piloto amigo de Fox desde os tempos de academia, e eles serão convocados pelo General Pepper para serem a linha principal de defesa de Corneria, e a grande esperança de vitória de Lylat Systemcontra as forças esmagadoras de Andross.

A história abaixo é a versão original japonesa, que consta nos primeiros manuais de Star Fox e em algumas revistas da época, e é a que tenho como base desde quando conheci Star Fox.

Chamado pelo exército para uma missão-teste no planeta Venom, James McCloud foi encarregado de testar uma nova super bomba de gravidade desenvolvida por um cientista militar chamado Andross, que possuía intenções escondidas e perversas de conquistar o sistema Lylat e via James como um obstáculo para seus objetivos.
Com isso ele tramou para que a bomba explodisse antesque James a utilizasse no teste, o que realmente aconteceu, gerando um buraco negro que sugou James para dentro com sua nave, e o piloto jamais foi visto novamente. Como resultado do desaparecimento de James, o exército descobriu os planos perversos de Andross e o sentenciou ao exílio no planeta Venom, mas  ele prometeu que um dia iria se vingar. E nessa vingança é que entra a história do primeiro Star Fox de Super Nintendo. Depois de vários anos aprisionados em Venom, Andross dá início ao seu plano de vingança criando um exército de naves controladas por ele e por mercenários para destruir Corneria (Planeta Base) e dominar o sistema Lylat. Lançando um ataque surpresa em todo o sistema, ele começa a sua vingança. O único problema é que James McCloud deixou um filho chamado Fox, que possuía toda a habilidade do pai, e que prontamente se tornou o líder do Star Fox Team. Sabendo do ataque, Fox parte para proteger Corneria com sua equipe: Peppy Hare, Falco Lombardi, e Slippy Toad.

Existe ainda uma terceira versão que foi lançada em uma comic da Nintendo Power em 1993, e que conta com vários detalhes que enriquecem muito a história, como a presença de  Vixy Reinard McCloud, mãe de Fox, a criação do novo Star Fox Team, e muito mais, só que essa história ficará pra depois!

As Famosas Airwings!                                                                                    

Em Star Fox você comanda as famosas Airwings, naves espaciais de combate pequenas e velozes que foram utilizadas pelo time de James McCloud em suas muitas missões (são elas no Star Fox de Super Nintendo).

Elas possuem um único canhão laser (Laser Blaster) e um lançador de bombas, mas com o decorrer do jogo é possível aumentar esse armamento para dois canhões Lasers Blasters (Double Blaster Laser) e mais bombas. Elas possuem também um Booster de velocidade que será muito útil para conseguir itens, fazer manobras, escapar de ataques inimigos e vencer chefões, e as naves possuem ainda um outro sistema de velocidade chamado Retro Booster, que diminui sua velocidade mas possui praticamente as mesmas utilidades do Booster na hora de fazer manobras e escapar de ataques de inimigos.

Com as versões pós-Super Nintendo, as naves foram evoluindo e melhorando suas características, inclusive transformando-se em tanques terrestres como em Star Fox 2 e Star Fox 64.

Outra característica importante da Airwing é a manobra conhecida como “Do a barrel roll” (você deve conhecer essa frase da brincadeira do Google, digite isso nele e verás!). Ela consiste em um giro de 360º  que auxilia em repelir lasers inimigos e conduzir manobras arriscadas para busca de itens.  No Super Nintendo ela é realizada com os botões R e L. Essa manobra foi otimizada no N64 para desviar e até escapar de emboscadas e perseguições aéreas inimigas.

Outro fato muito legal são as naves inimigas em Star Fox. Existe uma infinidade delas que tentarão a qualquer custo derrotar você, desde naves suicidas até mesmo naves em formato de borboletas, arraias, pássaros e Cia. O que realmente mais gosto no jogo são as naves dos chefões, que na maioria das vezes, quando estão quase sendo destruídas, mudam de forma e ficam com maior ataque e mais rápidas.

Seguem abaixo as fotos e detalhes dos chefes em Star Fox:

.

Star Fox o Jogo!                                                                                          

Star Fox foi desenvolvido pela extinta Argonaut Software sob a direção de Katsuya Eguchi(um dos nomes mais fortes do staff de profissionais da Nintendo até hoje), e produção de ninguém menos que Shigeru Miyamoto, que dispensa apresentações. É um jogo de tiros, um On Rail Shooter, que é aquele tipo de game onde temos sempre a visão traseira de nosso veículo e vamos para o fundo da tela atirando no que aparecer. Possui  perspectiva 3D, no qual existe a possibilidade de trocar a visão  de terceira para primeira pessoa (fora e dentro do cockpit respectivamente) em algumas fases, algo muito inovador para a época. O objetivo do jogo é proteger Corneria, chegar até o planeta Venom e derrotar Andross.

Por muitas vezes você terá que salvar seus amigos de ataques inimigos e, através do comunicador que aparece na tela, eles irão alertar você quando estiverem sendo perseguidos ou emboscados. Vale lembrar que eles também possuem barra de energia e podem morrer no decorrer do jogo caso você não os salve (em certas horas a vontade é de não os salvar mesmo).

……………………………………………..

A possibilidade de seguir três rotas diferentes até o Planeta Venom é caracterizada pelos níveis Fácilmédio e difícil,e esse esquema de rotas torna o jogo mais divertido, pois quando você se cansa de uma rota ou consegue completar ela em 100%, é a hora de partir para outra, com um nível mais difícil e fases novas e interessantes.  Foi uma ideia muito bem bolada da Nintendo, afinal sempre estávamos acostumados com jogos de nave em que seguíamos apenas uma rota e depois que terminávamos, o jogo ele ficava encostado.

Algo que você logo acaba gostando são os personagens (esqueça o comentário acima sobre os deixar morrer), afinal quem não abriria sua imaginação para um piloto intergaláctico raposa e seus amigos: Coelho, Falcão e Sapo e um cientista maluco-macaco. Sem dúvida essa foi uma jogada para atrair não somente a criançada naquela época, mas para abrir a imaginação de todos, algo que vem se perdendo nos tempos atuais com jogos cada vez mais reais e com menos fantasia (modo crítica ON).

Na rota fácil você irá seguir pelos planetas: Corneria, Asteroid Field, Space Armada, Meteor, Venom Airspace e Venom

Na rota média você irá seguir pelos planetas: Corneria, Sector X, Titania, Sector Y, Venom Airspace e Venom.

Na rota difícil você irá seguir pelos planetas: Corneria, Asteroid Field, Fortuna, Sector Z, Macbeth, Venom Airspace e Venom.

Ainda existem dois caminhos secretos: The Black Hole e Out of this Dimension.

Os controles são extremamente precisos e fáceis de jogar (ainda mais com o melhor controlpad de todos os tempos em minha opinião, hehehe). Existe a possibilidade de configurá-los de acordo com o seu gosto. Segue a tabela:

Tipo  Direcional  Direcional Start Select L R Y B X A
A Esquerda/
Direita
Cima/
Baixo
Pause Mudar
Visão
    Roll Esquerda   Roll Direita Laser Retro Speed Bomba
B Esquerda/
Direita
Cima/
Baixo
Pause Mudar
Visão
    Roll Esquerda   Roll Direita Retro Retro Speed Laser
C Esquerda/
Direita
Baixo/
Cima
Pause Mudar
Visão
    Roll Esquerda   Roll Direita Laser Retro Speed Bomba
D Esquerda/
Direita
Baixo/
Cima
Pause Mudar
Visão
    Roll Esquerda   Roll Direita Retro Retro Speed Bomba

Vamos aos itens, os famosos itens. Existem vários deles que irão ajudar você durante a aventura, alguns no auxílio para armas, outros para recuperar energia, recuperar partes das naves e escudos, juntar bombas, etc.

Supply Ring – Um anel azul que enche toda sua energia.

Small  Ring  – Um anel amarelo que recupera um pouco da sua energia.

Power Shield – Te protege contra grandes ataques inimigos.

Twin Blaster – Tiro Duplo.

Wing Gyro – Recupera asa quebrada.

Smart Bomb – Bomba de longo alcance.

Extra Ship – Ganha uma vida.

Agora, um fator que é consagrado em Star Fox (se você não se lembrar daquela música de Corneria, vá agora ao Youtube) é a trilha sonora. O compositor por trás deste jogo não é ninguém mais que Kōji Kondō, o próprio criador do tema do Super Mario. Eu particularmente gosto muito da música de abertura e seleção de mapas (tannn tannnn tarannn tarannnn narannnn!). Então nada melhor que compartilhar com vocês a trilha sonora inteira de Star Fox. Só ouvir e aproveitar:

Mas nem tudo é alegria em Star Fox. Um fator crítico no jogo é sua duração, pois apesar das diferentes rotas, pontos e porcentagem, você pode terminar tudo em menos de vinte minutos em cada rota, ainda mais quando você pega o jeito do game. Todos nós sabemos que os jogos daquela época eram curtos, mas Star Fox de algum modo consegue ser mais curto ainda, talvez pela tecnologia nova que ocupa muito do cartucho, limitando o tempo de jogo. Outro lado que pode ser considerado ruim – talvez mais uma opinião pessoal que propriamente uma crítica ao jogo – (gostaria da sua opinião nos comentários) é que mesmo você terminando o jogo em rotas diferentes o final é sempre o mesmo (não custava nada colocarem finais diferentes para cada nível). Apesar de que existe uma surpresinha no final do jogo, que logo abaixo vou contar para vocês.

Star Fox é um jogo cheio de surpresas e diversão garantida. É um dos meus jogos prediletos e, mesmo após vinte anos, é um prazer imenso compartilhá-lo com vocês. Quem nunca jogou não perca a oportunidade de curtir esse grande clássico e para quem já jogou vale muito jogar e relembrar.  É a minha dica de hoje!

Grande abraço do seu amigo Ivo!

Curiosidades                                                                                         

Adoro essa parte! Como comentei antes, Star Fox é cheio de curiosidades e informações. E se você tiver a curiosidade de pesquisar na Internet sobre o assunto, irá ver várias versões, histórias e também muitas dúvidas que o game deixou até hoje

Star Fox na Europa

Na Europa o game é chamado Star Wings.

The Black Hole – O Buraco Negro.

Lembra que comentei que o pai do Fox desapareceu em um buraco negro devido a bomba de Andross? Existe um determinado lugar no jogo em que é possível perceber ainda o desequilíbrio criado pelo buraco negro e assim entrar nele.

Para entrar no buraco negro você deve entrar no Nível 1-2, na fase Asteroid Belt.
Nesta fase, fique atento para os meteoros espirais com um vermelho no meio. Você deve atirar no meteoro central sempre que estiver prestes a se chocar com ele.  Isso ocorrerá por três vezes e se você tiver feito corretamente irá aparecer um meteoro com uma “cara sorrindo” à esquerda. Atire nele sem perdão e o buraco negro irá se abrir, e assim você poderá  ver onde o pai do Fox foi parar.

Out Of This Dimension – Para fora desta dimensão.

É possível se perder em outra dimensão em Star Fox. Você se lembra que comentei da falta de um final diferente? Bem, essa é a sua alternativa de ver um final diferente em Star Fox, desaparecendo em outra dimensão! Trágico não?

Para entrar nela, escolha o modo difícil, passe a primeira fase e vá pela segunda até chegar à parte dos asteroides. Logo irá surgir um asteroide à sua esquerda, você deverá passar direto por ele e em seguida irá aparecer outro à sua direita, e esse você deve destruir. Após destruí-lo vai aparecer um pássaro gigante (algo como uma fênix). Vá de encontro a ele e você será transportado pra outra dimensão.

Comics – Star Fox.

Existem alguns quadrinhos (comics) de Star Fox que podem ser encontrados na internet. Foram lançados em 1992, 1997 e 2002, e fazem menção respectivamente a Star Fox, Star Fox 64 e Star Fox Adventures. Estão à disposição para leitura neste link, e são várias histórias legais para você curtir no seu tempo livre. Para os fãs da série, vai ser um deleite.