Mais que terminar um game, jogar um lançamento, ter um console de última geração, ter uma coleção memorável de games e para mim o melhor é ter “histórias gamers“. Não é a toa que meu blog é recheado de histórias e lembranças gamers, muito mais que reviews ou gameplays e é essa é a intenção do meu blog e para sempre será – deixar registrado o máximo possível de histórias.

Acho que com o passar da idade, deixei de ser um colecionador de games e consoles e me tornei um colecionar de histórias gamers. Alias se vocè parar conversar comigo, sobre games, vai perceber que esse é meu assunto predileto e que não tenho mais paciência para “discutir sobre games e ser o “analisador de jogos” como muito se faz hoje.

E nessas conversas com outros amigos, acabamos levantando histórias. Quem nunca teve seus jogo roubado? Emprestou e não devolveu? Foi enganado? Teve um momento ruim na vida e com games melhorou? E tantas outras histórias! O que começou com alguns comentários se tornou algo super maneiro e com vários pessoas participando. Então resolvi colocar elas aqui no blog e compartilhar com todos.

E no final esse foi um dos textos mais gostosos de escrever aqui no blog e que fez abrir a caixa da imaginação e imaginar cada situação contada aqui.  E antes de tudo gostaria de agradecer todos que me mandaram suas respectivas histórias. Obrigado de mesmo!

De resto vamos lá! Bora lá ler “História Gamers dos Amigos“.


Hollow Mariohttps://twitter.com/SuperMarioPires

Imagina você ganhar aquele controle lindo que aparecia em toda revista gamer e que sonhava em ter. Pois bem pessoal, quem viveu os anos 90 sabe do controle Aquapad. Ele era transparente, cheio de funcionalidades especiais e aparecia sempre nas revistas Ação Games e Game Power. Pois bem, o nosso amigo Mario ganhou eles dos pais e seus olhos brilharam. Mas o que poderia acontecer de errado? O que poderia deixar mais marcado que ganhar esse controle? O Mario conta para gente.


Mario – Eu sempre fiquei babando nas propagandas das revistas sobre o controle Aquapad. Sempre! E um belo dia meus pais compraram ele no Makro e trouxeram para mim. Meu olhos brilharam e nunca esqueço desse momento. Foram meses de alegria jogando com ele, até que um belo dia chamei uma amigo para jogar comigo Street Fighter. Nisso emprestei o esse controle para ele jogar e adivinha que ele fez? Ele pegou o controle pelo fio e “rodopiou“… eu gelei na hora e tirei da mão dele. E adivinha? O controle parou de funcionar na mesma hora.

Hoje entendo que deveria ser um simples problema de solda, mas quem tinha ideia disso na época? Perdi um controle lindo e maneiro por causa de um amigo que no final nem sabia dar “Hadouken” em Street Fighter.

.
.



Comentário Ivo
– É Mario, que nunca teve um amigo “maledito” desse. Eu mesmo já passei por coisas assim e levando meu Super Nintendo na casa da pessoa para jogar. Ele perdeu em Street Fighter e jogou meu controle longe… por sorte não aconteceu nada, mas nunca mais emprestei nada para ele depois disso e muito menos levei meu querido Super Nintendo de novo lá. A vontade era de dar um “Hadouken” na cara deles isso sim…


Hollow Mario – https://twitter.com/SuperMarioPires

Quem lembra do jogo Street Fighter 3 de Nes? Um bela sacanagem para quem imagina que existia SF para NES. Era praticamente igual a você ganhar um Polystation achando que era um Playstation. Mas será que alguém seria capaz de trapacear para ter esse jogo? Um golpe no golpe do Street Fighter 3? Nosso amigo Mario passou por isso e nos conta.


Mario Sim eu fui proprietário do  Street Fighter 3 do Nes… e tinha um “amigo”, mais pra conhecido, que sempre pegava emprestado. Um belo dia quando fui jogar SF3 algo estranho aconteceu.  O jogo não funcionava!  Balancei o cartucho e ouvi um barulho de coisa solta nele, então resolvi abrir o o cartucho. E adivinha? Esse “amigo” tinha  trocado o “chip” e colocou outro no lugar. Como tinha outra furagem, o lazarento colou um pedaço de plástico com super bonder pra segurar o chip. Olha só a audácia do #$%@#. E o pior! Quando fui reclamar ele falou que não fez nada! Sinceramente espero que esse garoto queime no mundo Polystation e SF3 da vida até hoje.

 


Ivo – É Mario! Eu já sofri muito também com esses “amigos do capeta“, eu já fui roubado, enganado, zoado com assunto é games por ter essas amizades. Mas sacanaear com SF3 de NES é seguir o singnificado do aurélio mesmo.


Bruno Alveshttps://twitter.com/bcastroalves

Imagina você com seu Game Boy Pocket lindão e jogando Pokemon Red nos anos 90. Sonho de qualquer garoto da época, certo? Você lá todo felizão e de repente sua  irmã chega e faz algo com ele? Qual seria sua reação?! Pois bem! O Bruno teve a reação mais inusitada que se poderia esperar com o Game Boy Pocket dele.

 


Bruno – Era um dia normal e minha irmã pediu meu Game Boy Pocket para levar para o colégio. Até aê tudo bem! Qual o problema de emprestar para ela o GBP junto com Pokemon Red. Ela pegou e colocou na lancheira dela e levou para o colégio. Mas algo inesperado aconteceu… colocando na lancheira ela acabou derramando todo SUCO DE LARANJA nele. Eu fiquei maluco! Triste! E sabe que fiz? Se você acha que tentei limpar está errado… eu simplesmente JOGUEI NO LIXO o Game Boy Pocket com Pokemon Red… isso mesmo! E eu me culpo por isso até hoje! Mas eu era apenas uma criança…

 


Comentário Ivo – Bruno! Nessa idade a gente faz umas coisas que até Deus dúvida. Eu mesmo joguei minha coleção (mais de 100 revistas) da Super Game Power, Ação Games, VideoGame, Gamers fora… eu me culpo até hoje! É Bruno! Não dá! A negócio é dar as mãos e chorar juntos! Hahahahaha!


Religião Gamerhttps://twitter.com/religiaogamer_

Quem viveu os anos 90s literalmente viveu nas locadoras. Eu mesmo cheguei a ir 3 vezes no mesmo dia na locadora para ver se tinha um determinado jogo. E a locadora simplesmente ficava uns 40 minutos de bicicleta de onde morava… aja pernas! Mas alguém me superou! Esse é o caso do Religião Gamer.


Religião Gamer Meus tios moravam no Rio de Janeiro e com isso nada melhor que passar minhas férias por lá. Mas numa dessas férias acabei encontrando uma locadora de games. E se ter férias era motivo de alegria… que tal férias com uma locadora de games? Bom, eu levei isso ao pé da letra. Um belo dia saí da casa dos meus tios as 8:30hrs da manhã e cheguei na locadora as 9:00hrs (quando ela abriu!) e só fui sair de lá às 23:00hrs porque meus tios estavam desesperados a minha procura o dia todo.  Preciso dizer que aconteceu depois né!? Foto do lado! 

.
.


Comentário Ivo – Caraca Religião Gamer, eu já fiquei muito tempo em locadora, mas você conseguiu bater o recorde. Mas o curioso é saber que uma locadora ficava aberta até às 23:00hrs. Que loucura! E aposto que seus tios já estavam quase ligando para 190 a sua procura. E outra fato é que você literalmente ficou sem almoço e janta… literalmente almoçou e jantou games o dia todo! Hahahahaha!


Gamer Caduco – https://twitter.com/GamerCaduco

O que seria pior?!  Alguém surrupiar seus jogos ou você emprestar e ele não devolver? Tem coisa pior? Tem sim e o Cadu nos conta.

Cadu – Emprestar coisas e não devolverem é um saco e já aconteceu muito comigo, mas tem coisa pior que isso? Tem sim! Quando o Playstation 2 estava em alta emprestei alguns cartuchos do meu saudoso Mega Drive para um “amigo”. Esses jogos eram nada menos que Street Fighter2, International Super Star Soccer e Golden Axe 3. Passou dias, semanas, meses e nada dele comentar ou me devolver os jogos. Até que um dia cheguei nele e pedi de volta… Sabe que le me disse? Ele jurou de pé junto que euzinho tinha emprestado esses jogos para ele. Sim, acreditem! Falei um monte, mas não teve jeito e acabei perdendo os jogos com isso.


Comentário Ivo – Cadu, eu já tinha visto de tudo. Roubar na cara de pau jogos, emprestar e não devolver, quebrar e cia. Mas o cara dizer que na maior cara de pau que você não emprestou o jogo é novidade. Por acaso esse cara é político hoje em dia? Ele mora em Brasília? Ele deve ter vocação para isso pelo jeito. É muitaaa cara de pau!

 


Sabe qual é dos maiores pesadelos dos gamers nos anos 90? Apagarem os malditos saves. Quem nunca teve uma história assim? Então aqui uma coletânea de momentos de socar a parede com os saves deletados.

Fernando – https://twitter.com/ferques

Tão difícil quanto pegar emprestado Ayrton Senna’s Super Mônaco GP II, que era febre na época, era abrir tudo no jogo. Meu irmão pegou emprestado esse jogo de um amigo e trouxe para casa para passarmos o fim de semana jogando. Adivinha que aconteceu? Eu sem querer apaguei o save do dono do jogo que tinha tudo habilitado. Eu e me irmão corremos mais que o Ayrton Senna no fim de semana para abrir tudo de novo e devolver o save direitinho do dono.


Gamer Roots – https://twitter.com/GamerRoots1

Final Fantasy 3 de Snes é longo, complicado, com horas e mais horas para subir de nível. E nisso um belo dia um amigo veio me mostrar o jogo e onde ele estava na maior empolgação. Eram horas e horas de jogatina e ele todo feliz me mostrando. Até que um determinando momento fui jogar e dei um puxão no cabo do controle, que mexeu no videogame, travou o jogo e fez tudo balançar. Adivinha que aconteceu? Quando religamos o console o save tinha SUMIDO… o puxão simplesmente apagou o save do cartucho. Meu amigo… bom ele nunca mais foi meu amigo!


Igor – https://twitter.com/thomas.cavendish.5

Eu aluguei mutas vezes Phantasy Star de Master System, mas como era alugado não tinha muito tempo pra debulhar o jogo, avançava muito pouco e já tinha que devolver. Mas um belo dia eu aluguei o jogo com um save de alguém que tinha avançado muito no jogo. O save já estava com os veículos, armas, xp, magias, tudo avançado e prontinho para eu jjogar. Me lembro que fiquei lá me divertindo com tudo upado. Até que minha irmã que nunca jogava videogame me encheu o saco para jogar… no fim deixei ela lá jogando e fui tomar banho. Quando terminei o banho e voltei…. ela estava na tela abertura no botão ERASE e apagando nos últimos 5 saves que tinha no jogo. Eu não acreditei!


Comentário Ivo – Eu já passei por situação parecida pessoal! Eu tive um N64 e no final de vida dele não tinha mais jogos para jogar… então o jeito era jogar os mesmo jogos. E um desses jogos era Wave Recer 64 que joguei MUITO, mas MUITO mesmo e tinha recordes absurdos de tempo e pontuação. O jog era emprestado de um amigo, mas o dono mesmo nunca deletou meus recordes… até que um dia ele emprestou para um outro amigo e ele DELETOU TUDO. Ele não consegui bater nenhum recorde meu e simplesmente deletou TUDO! Nossa! Eu fique fulo da vida quando descobri isso.


Diogo – https://twitter.com/Cyber_Woo

Se tem algo doloroso nessa vida é furúnculo. Meu irmão tinha e ele chorava de dor… dizem que é igual dor de pedra nos rins. Mas que isso tem relação com videogames? O Diogo conta para gente.


Diogo – Minha mãe estava sofrendo horrores com um furúnculo na bunda (acredite!) e por coincidência meu pai havia alugado Killer Instinct das dores dela e em um fim de semana. Era tanta dor na minha mãe que ela não conseguia dormir e chorava de dor. Triste em ver ela assim liguei o videogame e chamei pra ficar jogando e se distrair… e não é que funcionou! Foi uma momento muito agradável ter ela ali jogando comigo e lembro até hoje. Inclusive deixava ela dar uma surra em mim e ficava fingindo que ficava bravo e ficava rindo. No final ela esqueceu a dor e ficou lá jogando a noite toda comigo. É um momento que ela e eu lembramos ate hoje, inusitado por conta das condições, mas que guardo com grande carinho.


Comentário IvoEu deveria ter te conhecido antes Diogo, meu irmão tinha isso e passava a noite acordado reclamando de dor. Se soubesse disso juntava o útil ao agradavél… jogava videogame a noite toda (meus pais não deixavam!) e ainda fazia meu irmão esquecer a dor dele. 


Robson – https://twitter.com/elsupernino