Estou de volta pessoal e com mais uma parte da “Minha Vida Gamer” e desta vez com a “Parte 4.5“. Por que 4.5? Porque foi interrompida com uma “situação chata“, mas antes de relatar essa “situação chata” vou contar minha história gamer dessa época e que se baseia no Nintendo 64. Mas caso você não tenha lido as histórias da “Minha Vida Gamer” anteriores é só acessar os links abaixo:


Era Nintendo 64!

Era exatamente 1996 e estava na 7º série do ensino fundamental. Essa foi justamente a época mais ativa de videogames que tive na minha vida. Eram locadoras, revistas, casas de amigos, videogames e tudo que poderia aproveitar desse hobby e no máximo dividia tudo isso com estudos (claro!) e minhas partidas de futebol na famosa quadra da AFC (Associação Funcionário da Cosipa) com os amigos de classe todas sexta-feiras depois do colégio. Que a verdade seja dita… 1996, 1997 e 1998 sem dúvida foram “anos de ouro dos videogames” com lançamentos de franquias famosas e consolidação de outras que duram até os dias de hoje. Está duvidando? Olha a lista de lançamentos de 1996, 1997 e 1998Eram as gerações 16 bits + 32 bits + Pcs + Começo da Internet.

………………….Logo Ultra 64

Mas voltando, lá estava euzinho lendo notícias de games em revistas… até que acabei lendo “uma  bomba”, que fez meus olhos pularem para dentro da revista. O que era? Nada menos que a notícia do novo console da Nintendo. Sim meu amigo… o famoso “Nintendo 64″ ou como inicialmente foi chamado “Ultra 64″. Imagina você com seus 15 anos lendo a notícia em meados dos anos 90: – NOVO CONSOLE DA NINTENDO SE CHAMA – ULTRA 64. Era de arrepiar!!! Só quem realmente viveu essa época sabe como esse nome – ULTRA 64 estremecia as rodas de conversas sobre games. Depois disso as revistas de videogames passaram sempre a comentar sobre esse novo console da Nintendo, em toda “santa edição”, mas ao mesmo tempo nenhuma imagem era divulgada. Perguntas de como como ele seria? Se existiria um novo Mario? Como serial os gráficos?! Se rodaria jogos de Super Nintendo?! Giravam nossa imaginação e conversas de todo gamer daquela época… mas no final pouca coisa era revelada.

Bom, isso mudou justamente na edição Nº84 da revista Ação games e mais exatamente no final dela (aquela parte que dizia “NA PRÓXIMA EDIÇÃO!” que quase ninguém lia!) com o aparecimento da primeira imagem do ULTRA 64. Me lembro que saí correndo na hora que vi essa foto e fui mostrar para meu amigo. Foi empolgação a primeira vista! Vale lembrar que naquela época não existia praticamente internet e tudo que sabíamos era justamente pelas revistas, que também possuíam um atraso em relação as notícias que vinham do Japão e EUA. Depois dessa primeira foto o novo console da Nintendo virou notícia de capa em várias edições de revistas de videogame.

………………………………Edição Nº84 da Ação Games com a primeira foto do ULTRA 64.

Pela primeira vez na TV vi o lançamento de um Videogame!

Fiquei muito tempo lendo sobre  ULTRA 64 e vendo suas fotos em revistas. Mas a primeira vez que vi ele (sem ser em foto!) foi na TV e no programa chamado StarGame que passava no Multishow. Assistia esse programa todos os sábados no apartamento de um amigo com outros 2 amigos. Esse apartamento aos sábados era uma “gritaria só” devido as partidas de games ou jogatinas de WAR (jogo de tabuleiro!). O apartamento ficava no 4º andar, mas quem passasse em frente do prédio ouvia tranquilamente garotos gritando ou rindo a tarde toda. Quando dava 18:30hrs a gente parava tudo e ligava a TV para assistir o StarGame, mas ao invés de risadas e gritarias um silêncio mortal se instalou nesse dia. Motivo? Logo na abertura do StarGame foi mostrado rapidamente algumas cenas de Mario 64 em exclusividade (indicando que teríamos uma reportagem sobre ele!). E ali sabíamos  que eramos os felizardos em ver na TV o Nintendo 64 pela primeira vez no Brasil. Acrediteee! Passar algo assim na TV pode parecer comum e bobo hoje, mas antigamente era algo para comemorar como uma conquista de Copa do Mundo. O programa começou e depois de algum minutos a matéria especial mostrou o Nintendo 64, seus controles inovadores e por fim o Mario 64… e todos aqueles garotos naquele quarto ficaram MUDOS e ARREPIADOS. E por acaso fazendo esse texto, acabei encontrando esse programa do StarGame lá no grupo do Facebook do StarGame. Você pode conferir abaixo:

Eu fiquei apaixonado por Mario 64 e ver aquele mundo 3D e com total liberdade de exploração. ERA DEMAIS! O silêncio permaneceu ali por uns 20 minutos e quando terminou o programa todos estavam de “bocas abertas” e só com um pensamento em comum: – Em ter o Nintendo 64. 


Meses Depois!

Meses depois desse programa ser visto o hype do Nintendo 64 só aumentava. Revistas não paravam de falar do novo console e todos queriam mais do que nunca joga-lo. Até que um dia fui passear no shopping Balneário da minha cidade natal (Santos-Sp) e para minha surpresa lá estava ele em uma loja chamada Viva Shop (Valeu por lembrar Wagner! Tinha errado o nome!). Naquela época não tínhamos noção exata de lançamentos como hoje, a gente vivia praticamente sem notícias, caso não comprasse revistas de videogame… e como não comprava todo semana ou mês a surpresa de ver o Nintendo 64 em uma loja foi ainda mais surpreendente.

…………..Matéria do jornal Estado de SP sobre o lançamento do N64.

Meus olhos ficaram gigantes ao olhar aquele console ali e logo percebi que era a versão japonesa do Nintendo 64. Então pude imaginar que estar vendo ele ali era mais “exclusivo-sortudo”, afinal quando vinha algo do Japão era exclusividade mesmo naquela época. Lembrando que console japonês foi lançado alguns meses antes do americano (julho de 1997 o Japonês e o Americano somente no final de Setembro de 1997). Não deu outra e entrei na loja e fui direto para onde o pessoal estava jogando… e fiquei ali vendo Mario 64 arrepiado. Engraçado que o pessoal não sabia jogar direito (ficava só ali na parte fora do castelo! acho que não sabiam que dava para entrar), mas mesmo assim todos ficavam de bocas abertas ao olhar aquele cenário magistral. Com tempo a loja foi ficando absurdamente lotada e todos paravam para olhar Mario 64. Quando saí da loja prometi que iria voltar no dia seguinte. E adivinha? No dia seguinte estava lá junto com meu amigo e marcamos de jogar 30 minutos de Mario 64.


Jogando Nintendo 64 pela primeira vez!

Inicialmente ficamos perdidos no castelo, no cenário fora dele e não sabíamos o que fazer (que mandou falar que os outros não sabiam jogar! XD). Até que esse amigo se lembrou do programa StarGame (citei acima!) e comentou que viu o Mario entrando em um quadro em uma sala, E lá fomos para única sala aberta, entramos nela e vimos um quadro e pulamos para dentro dele… e quando percebemos já estávamos jogando a primeira fase (Bob-Omb Battlefield) de Mario 64 e foi mágico. Posso dizer que os 30 minutos ali passaram como fossem 2 minutos e infelizmente terminamos nossa jogatina querendo mais. Mas no final nossas condições financeiras não eram favoráveis naquela época para jogar mais 30 minutos… não tínhamos dinheiro. Mas saímos dali felizes por ter nos maravilhados com aquele jogo.


Comprando Nintendo 64 com meu pai!

Era final de Setembro 1997 e Outubro estava chegando (Dia das Crianças!) e o lançamento de Mario 64 já tinha sido anunciado nos EUA e enlouqueceu 11 de cada 10 gamers do planeta. E para deixar ainda todos mais todos malucos o console foi lançado oficialmente no Brasil pela Playtronic. Então ver propagandas em revistas e na TV era algum comum nesse tempo e que deixava a gente cada mais sedenta por ter esse console. Por isso mesmo insisti muito para meu pai comprar esse console e depois de algum tempo de negociação…. ELE COMPROU! Meu pai era um cara fantástico! Ele trabalhava MUITO e o pouco tempo que ele tinha com a gente era justamente para curtir a família (praia, almoço e passeios!) ou nos proporcionar essa alegria de dar um presente fora do comum, ou melhor dizendo… com padrões financeiros altos. O preço do Nintendo 64 naquela época beirava praticamente os R$ 500,00 e isso em 1997 era uma fortuna.

……………………………Valor N64 no lançamento! R$ 500,00!

Mas lá estava euzinho com meu pai na mesma loja que joguei a primeira vez Nintendo 64. O velho me comprou o Nintendo 64 e ainda junto o Mario 64. Vale lembrar que a Nintendo não colocou o cartucho junto com o console para quem comprasse, você tinha que comprar separadoe. Foi realmente caro comprar N64 perto do lançamento! E me lembro que me importava com isso, apesar de meu pai ter um pouco de dinheiro nesse época, acabava sempre me importando com as finanças em casa. Mas esses pensamentos não ficaram muito tempo na cabeça.. quando o vendedor abriu a caixa do N64 na minha frente em cima da prateleira da loja… esqueci de tudo! Meu pai pagou o vendedor com uma “hequezão” e em segundos coloquei o N64 embaixo dos braços e fui direto para casa.

………………………………..Mario 64 como vinha no lançamento!

Assim como aconteceu com o Super Nintendo, não me lembro do trajeto de volta para casa… nessas horas acho que devo ter entrado em um lapso temporal e por mais que tente não consigo lembrar de NADA. Única coisa que lembro é de jogar ele pela primeira vez na sala da casa da minha mãe.

Meu pai instalou o Nintendo 64 direitinho e foi ali que vi aquele rosto do Mario em 3D, que me encantou e encantou tantas outras pessoas e assim ficando marcado na memória. Me sentei ali no chão da sala e fiquei jogando e explorando aquele castelo como tivesse dentro do próprio jogo e meus pais ali me assistindo. Foi um daqueles momentos mágicos que você simplesmente imerge e esquece o mundo lá em sua volta. Engraçado que lembro que quando olhei ao meu redor já não tinha mais ninguém ali na sala hahahahaha XD. Tinham se passado horas e mais horas e não percebi o tempo passar e muito menos ver meus pais saindo da sala. Só agradeço eles…SEMPRE! OBRIGADO!!


Jogando Mario 64 até o dedo cair!

Eu tinha um outro amigo que também era aficionado por games no colégio, alguns dias depois ele comprou o Nintendo 64 (praticamente 1 semana depois), nisso nossas conversas eram voltadas em cima do N64. E como nos eramos os únicos com esse videogame no colégio inteiro, todos ficavam a nossa volta querendo saber mais e mais sobre ele. Vamos dizer que tinha virado o “centro das atenções do colégio” e para um garoto “mega-tímido”… isso era o MÁXIMO!

O tempo passou e fui jogando e me viciando cada vez mais em Mario 64. Eram praticamente todos os dias jogando e fazendo tudo direitinho para achar 120 estrelas. Eu me lembro que não fechei o jogo com 70 estrelas, me prometi que só iria fechar ele quando tivesse 120 estrelas (com 70 estrelas você podia enfrentar o Bowser na última fase!). E foi assim que sem revistas que acabei fazendo 120 estrelas em Mario 64… na PURA RAÇA. Vasculhei cada centímetro daquelas fases e conhecendo tudo e finalmente terminei o game com a maior satisfação possível fazendo 120 estrela. Mas mesmo fechando com 120 estrelas não queria parar por ali… eu tinha que descobrir mais segredos desse game. Eu fiz de tudo que podia: peguei todas moedas douradas possíveis, bati os recordes de pegar moedas do detonado da Super Game Power, subi no castelo sem canhão para saber se tinha algum segredo, vasculhei cada canto em busca de algo… mas infelizmente nunca encontrei nada que fizesse um “final diferente” (coisas de gamer!). Eu sempre tive essa mania de achar que os jogos tinham finais especiais ¬¬

SuperGamerPower Nº33 com detonado de Mario 64. No detonado tinha quantas moedas douradas tinha na fase. Fiz mais que a revista indicava em todas as fases e não aconteceu nada >.<

E depois de Mario 64?

Depois de detonar Mario 64 não tinha outra alternativa a não ser alugar jogos na locadora, afinal comprar qualquer outro jogo de N64 estava fora de cogitação devido aos preços. O primeiro jogo que aluguei foi Wave Race. Um joguinho de Jet Skis muito legal e depois comecei a alugar outros como:

  • Mario Kart 64
  • Hexen
  • Blast Corps
  • MRC – Multi Racing Championship
  • Internation Super Star Soccer
  • Goemon
  • Top Gear Rally
  • Mischief Makers
  • Aero Fighters Assalt
  • Robotron 64
  • Fighters Destiny
  • Yoshi Story
  • Killer Instinct Gold
  • Banjo Kazooie
  • Cruis´n USA
  • Extrem G-2E muitos outros.

Depois de um tempo alguns outros amigos já tinham Nintendo 64 e com isso acabei pegando jogos emprestados. O destaque fica por esses jogos que joguei MUITO:

  • Mario Kart 64
  • Blast Corps
  • Wave Racer
  • 007 Golden Eye

Vou dizer para vocês que eu simplesmente detonei esses jogos em todos os sentidos.

Wace Race bati recordes que nenhum amigo conseguia superar.
Blast Corps é um jogo horrível de ruim e mesmo assim fechei e acho que sou único cara no planeta que fez isso.
Mario Kart 64 joguei até os dedos caírem.
007 Goden Eye são histórias que conto abaixo.

007 Golden Eye sem dúvida é um dos jogos mais aclamados de N64 e justamente um amigo tinha comprado. Não perdi oportunidade de encher ele para me emprestar. Com o TEMPO e MUITA insistência, ele emprestou e isso significava: – “sem prazo de devolução”. Ao contrário das locadoras! Então minha missão era detonar esse jogo!

E vou dizer para vocês que fechei esse jogo em todos os níveis e isso inclui o nível “007 Agent” que era insanamente difícil. Inclusive no “007 Agent” existe a fase “Egyptian” , que você tinha que pegar a pistola de ouro (Golden Gun), ficava em uma sala cercada de metralhadoras e caso você pisasse em algum piso errado as metralhadores disparavam e matavam você na hora.

…………..Golden Gun em 007 Golden Eye de N64.

Eu tentei milhões de vezes conseguir essa pistola, mas sempre morria no mesmo lugar ativando as metralhadores. Até que um dia eu resolvi pedir ajuda e ligar para o “Power Line” que era o serviço de ajuda telefônico aos jogadores da Nintendo no Brasil. Obviamente liguei escondido da minha mãe (conta telefônica iria ver alta!) e logo atenderam e perguntaram qual era minha dúvida. Depois de um tempo explicando qual fase no 007 não passava… ele pediu para aguardar. Demorou alguns minutos e incrivelmente ele me trouxe a resposta. Ele deveria ter isso anotado, porque descobrir isso na hora e no telefone era impossível. Desliguei o telefone e fiz todo o procedimento como ele falou e consegui finalmente pegar a pistola de ouro. Realmente tudo que podia em 007 e inclusive abrir os “cheats” de todas as fases que só eram abertas se você terminasse elas em um tempo determinado foi feito.

…………………………………….……………………………Power Line Brasil!

E depois de tudo isso tenho que comentar de Mario Kart 64. Quem me conhece bem sabe que esse é o meu jogo predileto de todos os tempos e inclusive fiz um MEGA REVIEW contando tudo sobre esse jogo e caso você queria conferir é só clicar aqui. Mas voltando, joguei muitoooooooo Mario Kart 64, gostava tando desse game que acabei comprando o Diddy Kong Racing que achava que seria o sucessor do Mario Kart 64, mas passou longe disso.


Diddy Kong Racing não era Mario Kart 64!

Diddy Kong Racing foi um jogo que seguiu a temática de corrida com 4 jogadores e embalado no sucesso de Mario Kart 64, mas não chegou aos pés dele. Apesar de ter vários veículos para pilotar, vários personagens, diversas fases, itens e tudo mais…. ele pecava no aspecto carisma e diversão.

Eu acho o Diddy Kong Race muito “quadrado” e com muita falta de criatividade na hora das corridas e na questão diversão. No Mario Kart 64 a troca de posições, derrotas ou vitórias são sempre inusitadas e deixando o game maravilhosamente divertido… já o Diddy Kong Race isso não acontece e dificilmente vemos isso. Apesar de ter jogado muito ele na épocado lançamento, acabei me arrependendo de compra-lo (e olha que o preço era alto!) e acabei deixando de lado com um gostinho de arrependimento.

……….Diddy Kong Racing foi o segundo game que tive para N64.

O último jogo que joguei de N64 foi o The Legenda Of Zelda: Ocarina Of Time e que também foi emprestado. Um jogo maravilhoso, cheio de histórias, mundos abertos e tudo mais que vocês estão cansados de ouvir. Foi outro jogo que fiz praticamente tudo que podia: pegando todos corações, pegando a “Biggoron’s Sword“, todos os itens e cia. Me lembro que fiquei de boca aberta em ver aquela parte da “Deku Tree” e você entrando nela.

……………………………………………………………………………Deku Tree!

 


O começo do fim!

O começo do fim do meu N64… até um pouco antes do “dia fatídico“. Foi quando a Nintendo começou a sofrer com a sua decisão de escolher cartucho ao invés de CD para o N64. Enquanto o Playstation tinha cada vez mais jogos o N64 e se limitava com poucos lançamentos e isso refletia nas locadoras. A situação piorou com o “BOOM” da venda de jogos piratas de PSX. Enquanto certos amigos que tinham o PSX compravam 10 jogos por R$ 3,00 toda semana… eu tinha que me contentar em achar algo nas locadoras e onde praticamente já não existia nada de novo do N64

……………………………………….Venda de jogos piratas de PSX! Era muito barato!

Eu já tinha jogado praticamente os melhores jogos de N64 e ficava cada vez mais difícil conseguir algo na locadora… e sem contar aquela sensação de ver todo mundo jogando: Resident Evil, Ridge Racer, Street Fighter Zero, King Of Fighters e nada desses jogos surgirem no N64. Comprar um Playstation estava fora de cogitação na minha casa, devido a problemas financeiros… então o jeito era se divertir jogando o que tinha. E vou ser sincero, me divertia muito jogando Mario Kart 64 na casa dos amigos e até conseguimos juntar dinheiro e comprar 4 controles para ficarmos jogando todos juntos. Com o tempo o N64 foi ficando cada vez mais para trás em relação ao PSX, mas era o que tinha e continuava jogando ele mesmo assim.


O dia fatídico!

Era férias de fim de 1999 e era costume meus amigos e seus pais alugarem uma casa de praia e passaram alguns dias curtindo sol, videogames, praia e cia. Eu era sempre convidado e sempre aceitava, em meio a isso tivemos a ideia de levar meu N64 + 4 controles e obviamente Mario Kart 64 para ficarmos jogando na casa de praia. Foi tudo organizado e lá estávamos em Bertioga (Litoral de São Paulo) em uma casa perto a uma quadra da praia. Nesse embalo meu amigo acabou levando também o Super Nintendo, para curtir algumas partidas de Super Street Fighter 2. Me lembro ficamos lá jogando N64 e Snes nos finais de tarde, depois que o sol ia embora e já tínhamos aproveitado a praia o dia inteiro. Pois bem pessoal… em um desses dias no final da tarde lá estava eu, meus amigos e os pais deles na sala jogando quando infelizmente… dois ladrões armados entraram na casa. Sim, eles entraram na casa e nós renderam e começaram a levar tudo embora. Ele pediram para ficarmos no quarto trancados enquanto saqueavam a casa e nisso foi que levaram meu NINTENDO 64 embora. No momento do assalto só queria saber da segurança de todos, mas quando os bandidos foram embora e vi que todos estávamos seguros…  fomos ver o que eles levaram e que percebi que meu NINTENDO 64 já não estava mais ali.

……….Triste ver seu videogame sendo roubado!

Sem dúvida foi um dos momentos mais tristes da minha vida gamer. O N64 poderia até estar desfazado, sem jogos, perdendo feio para PSX, mas ainda sim ele era um videogame querido. No final fiquei sem ele, os jogos, controles e dali para frente foi um momento de “vacas magras” com videogames na minha. Como citei acima, minha família vinha com problemas de renda e comprar videogame se tornou algo bem complicado. Por sorte tenho grandes amigos e sempre envolvidos nesse mundo dos games… e assim pude em todas as gerações seguintes jogar alguma coisa ou outra na casa deles. Eu fiquei sem videogames (meus!) nas gerações PSX, Dreamcast, Saturno, PS2, PS3 e só realmente fui ter um novo com a comprar do XBOX 360.

Por isso que disse que essa foi “Minha Vida Gamer 4.5” (4,5!) porque infelizmente foi interrompida por essas circunstâncias de roubo. Mas tenho que dizer que o Nintendo 64 é um videogame inesquecível na minha vida e alguns anos atrás acabei comprando ele para deixar na minha estante e sempre lembrar dos bons momentos e espantar os ruins.

…………………………………………………………………………….Nintendo 64 PARA SEMPRE <3

É isso pessoal! Fica aqui meu obrigado para quem leu até o final desse texto. E se quiser comentar ou gostou da proposta de comentar sobre “Vida Gamer” e quiser escrever e postar aqui no blog… pode falar comigo =)
Grande Abraço. Ivo.