E finalmente chegamos ao final do “Diário Resident Evil 2” onde conto a minha jornada cheia de sustos nesse incrível game. E caso você não tenha lido os diários anteriores é só dar uma clicada aqui. Na última parte parei na entrada do laboratório secreto e subterrâneo da Umbrella. Bora lá ver o que me espera!

ENTRANDO NA UMBRELLA

Depois que peguei o trem e falei Ada, segui em frente… eis que chego na entrada do laboratório da Umbrella. O cenário por si só já diz para você “fudeuuuu“. Logo na entrada existe um recepção e ao olhar em volta já percebe-se que tudo já está abandonado (sinal que deu merda! claro!). Algumas portas só são acessíveis se você tiver um tipo de pulseira e quanto maior o nível de segurança, mais você vai precisar das pulseiras especificas. A única saída que encontrei foi a esquerda em um refeitório… E adivinha quem era o almoço? Você! O local estava infestado de zumbis. Fiz a limpa e única saída que encontrei foi por pela tubulação em cima do refeitório que dá direto a outra sala. Ali consegui encontrar uma pulseira de acesso e consegui abrir algumas portas e seguir em frente.

NEM TUDO SÃO FLORES

Ao entrar no outro setor me deparo com uma área cheia de plantas. As plantas eram experimentos da Umbrella com o G-Vírus, mas parece que algo saiu errado e elas cresceram absurdamente e ficaram mortais. Tanto que ao entrar na sala já vejo um cientista completamente morto no vidro (Se Si Fu Fu!), mas aê você repara que ele tem uma das pulseiras de acesso e vai ter que ir lá pegar do corpo dele. Você segue e aê que a coisa fica feia! No caminho aparecem novos tipos de zumbis que são meio plantas carnívoras. Você pode encher o safados de tiros e eles apenas caem no chão e depois voltam a vida… o único jeito de mata-los é queimando eles com lança-chamas.

JARDIM BOTÂNICO DA MORTE

Passando a sala com “zumbis-plantas” você dá de cara com uma sala de controle onde existe o acesso para o “jardim botânico da morte” (local onde está o cientista com a pulseira de acesso!). Ali você descobre que é preciso jogar um inseticida para matar as plantas no “jardim botânico da morte” e assim pegar a pulseira no corpo do cientista.

Mas é claro que você não vai consegui nesse momento… é preciso encher um tubo com esse inseticida e assim usa-lo no computador dessa sala e de final jogar nas plantas. Então o negócio é ir encher esse tubo e obviamente passando pelo “jardim botânico da morte” repleto de monstros e plantas assassinas.

SUBTERRÂNEO DO JARDIM

Mesmo entrando no “jardim botânico da morte” é impossível pegar a pulseira do cientista morto. Ele está em uma área que cheia de plantas que não deixam passar e o jeito é jogar inseticida em tudo para abrir o local. Eu sigo em frente e a única passagem é uma porta que dá no subterrâneo do jardim.

 Ela precisa de acesso para abrir, consigo isso e entro. Ali embaixo mais uma laboratório da Umbrella com sangue para todos os lados e especialmente do teto (sinal de Hunter safados!). O local está infestados de zumbi, mas nada de Hunter aparentemente e com isso sigo em frente. Ali descubro que é um setor onde posso fazer o inseticida e nisso que vou  atrás. A primeira parte de encher o inseticida foi feita e na volta encontro os Hunters… são 3 Hunters e chatos de matar e ralei para isso!

A VOLTA AO JARDIM BOTÂNICO DA MORTE

Com a primeira parte do inseticida feita o negócio é voltar. Voltando descubro para encher a segunda é só ir na sala ao lado do “jardim botânico da morte”. Chegando lá consigo encher a segunda parte o inseticida e agora estou pronto para detonar as plantas que impedem de chegar ao cadáver do cientista. Na volta descubro alguns registros que informa o que aconteceu nesse laboratório. De algum modo alguém deixou de ativar o sistema de dedetização das plantas e elas cresceram absurdamente e começaram a matar os cientistas. Isso de algum modo aconteceu devido ao vazamento do G-Virus e o ataque dos zumbis. No final eu consigo usar o inseticida e matar plantas e sigo para pegar finalmente a pulseira.

Mr X BACK AGAIN

Quando chego até o cientista e pego a pulseira! Adivinha quem aparece? Ele mesmo o chato do Mr X! Ele não morre o jeito fugir dele e foi que fiz. Ainda voltei a consegui pegar mais uma pochete e assim completei todos os espaços que precisava para armazenar itens. Corri até a ponte principal e acionei a ponto com a pulseira que peguei. Ali vou FINALMENTE a sala do G-Virus… Aleluiaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!! E nada de Mr X nesse meio tempo =) Ainda bem!

G-VIRUS FINALMENTE E O QUE ACONTECEU

Cheguei na sala onde fica as amostrar o G-Virus, mas antes descubro uma fita que mostra a gravação do que realmente aconteceu para toda essa merda ter acontecido.

“Após o incidente da mansão em Resident Evil 1, uma preocupação geral tomou conta da Umbrella para que os fatos não fossem investigados a fundo. Mesmo com a explosão do local, juntamente com o Complexo de Pesquisas de Arklay, foi necessário tomar algumas providências para que os relatórios dos S.T.A.R.S. sobreviventes fossem desacreditados.

Como parte dessas providências, em meados de agosto, Birkin tem um encontro com Brian Irons (delegado de Raccoon City), pagando a ele 10 mil dólares para que as atividades dos S.T.A.R.S. sejam monitoradas, e que as investigações sobre o incidente da mansão sejam de alguma forma atrapalhadas. Irons passa então a tomar todas as providências para que os relatórios e declarações dos sobreviventes do incidente sejam desacreditadas e não sigam em frente.

Ainda por conta da repercussão do incidente, a imprensa e a polícia federal passam a investigar as ações da Umbrella, e Birkin ordena que a passagem que liga a R.P.D. ao laboratório subterrâneo seja mais controlada e a entrada e saída de pessoa seja mais restrita.

Em setembro, a Umbrella passa a observar as ações de Birkin mais atentamente. William entrava de cabeça cada vez mais em suas pesquisas, e em uma avaliação psicológica de rotina, médicos da Umbrella relatam que Birkin apresentava um comportamento anormal, misturando mania e extremo silêncio.

Falando de forma totalmente obsessiva, o pesquisador se recusava a falar qualquer coisa plausível do que o futuro reservava para ele, mas dava ideia de que acreditava que  algo grandioso para ele e sua família estaria reservado.

Família, que aliás, havia sido deixada de lado por Birkin por conta de suas pesquisas. Em uma carta escrita por Annette, ela relata que passou períodos de mais de uma semana sem que William voltasse pra casa, e que Sherry sentia muito a falta do pai.

Annette ainda conta que, em sua avaliação psicológica periódica feita pela Umbrella, a coorporação parecia mais interessada em obter informações sobre William do que efetivamente fazer uma avaliação psicológica de Annette. Ainda em sua avaliação psicológica, Birkin foi retratado como um homem de ética de trabalho louvável, mas que deveria ser observado mais de perto, com avaliações em intervalos de tempo mais curtos.

William Birkin, passa a temer que a Umbrella queira tomar a pesquisa do G-Vírus dele e contata o Exército dos EUA para negociar um acordo. Dessa forma, ele monopolizaria o G-Vírus para si. Porém, no dia 20 de setembro de 1998, uma operação para recuperar o G-Vírus é inciada pelo esquadrão da U.S.S. formado pelas equipes Alpha (tendo como HUNK como líder) e Delta.

As equipes invadem o esgoto, e no dia 23 de setembro eles localizam e invadam o laboratório de Birkin. Ao se recusar a entregar o G-Vïrus aos soldados, o cientista é alvejado pelos membros da equipe Alpha da U.S.S., que coleta a maleta com as amostras do T e do G-Vírus que estavam em posse de Birkin.

Extremamente ferido e prestes a morrer, Birkin se injeta com o G-Vírus, e quase que imediatamente, transformações começam a ocorrer em seu corpo, ele sai pelo laboratórios e pelos esgotos em busca dos soldados da U.S.S. Ao encontrá-los, Birkin é novamente alvejado com uma grande rajada de tiros, mas por conta dos efeitos do G-Vírus, ele não sofre dano nenhum e mata todos os membros da U.S.S.

O único a se salvar é HUNK, que havia guardado consigo uma amostra do G-Vírus. Durante o ataque, a maleta contendo as amostras de T e G cai no chão, liberando os vírus nos esgotos e contaminando os ratos que espalham o vírus por toda Raccoon City.” 

Claro que eu aprofundei mais a história porque na fita só mostra o Birkin sendo morto. Depois de ver a fita segui em frente e finalmente peguei uma amostra do G-Virus e agora era fugir dali.

A BATALHA FINAL


Quando estou saindo Birkin aparece e totalmente transformado (quarta transformação dele!), mas antes que ele me ataque a Annette aparece e joga um anti-vírus nele e Birkin caí no chão. Nisso Annette explica tudo a Leon, que o dois eram marido e mulher e trabalhavam juntos na Umbrella até toda merda acontecer o Birkin injetar o G-Virus em si mesmo.  Mas antes de ela dizer mais algum coisa Birkin levanta agarra ela e a joga longe e aê começa minha luta contra quinta transformação de Birkin. A luta é pesada e eu descarrego munição no filho da mãe ele continua em pé e para piorar ele ataca tanques de gás em mim. Mas no final detono ele sem piedade (morri umas 10 vezes!). Antes de ir embora Annette me conta sobre Ada e que ela não é do FBI e pede para tomar cuidado… e não deu outra porque na outra sala encontro Ada e Leon logo fala que ela não é um agente do FBI e ela aponta a arma para ele. Nesse meio termo o laboratório entre em contagem regressiva para explodir e no meio desses tremores a ponte que Ada e Leon estavam quebra e Ada caí mais Leon a segura, mas ela caí junto com a amostra do G-Virus.

A BATALHA FINAL 2

Sem Ada e G-Virus o Leon tenta fugir do laboratório prestes a explodir e em uma sala encontra Claire em um dos monitores e fala para ela fugir pois tudo vai explodir. Seguindo em frente em meio a explosões e zumbis.


E quando estava achando que iria terminar o jogo…. Mr X volta novamente para terminar um papo comigo e assim começa a luta final. E o pior de tudo é que ele está transformado e muito mais forte agora. Eu demorei para matar ele! Fuzilei, queimei, atirei…mas o filho da mãe vinha sempre em uns golpes mortais e me matava. No final o melhor jeito de matar ele foi usar a Magnum e mandar balas certeiras na cara dele. Eu morri umas 15 vezes e tava quase desistindo já quando finalmente consegui e recebi uma bazuca da Ada (parecia ela!) e explodi o filho da mãe.

O FIM

Depois de mantar o Mr X foi só aproveitar o final e que na verdade não é o final verdadeiro… tenho que terminar o jogo com a Claire agora e depois na opção “História 2” e assim ver o verdadeiro final =) E pode ter certeza que vou fazer!! O que posso dizer do jogo? Ele é fantástico! Está matando minha sede de RE2 que tive nesses últimos 20 anos, mas vou fazer uma analise técnica dele totalmente em uma review e depois de terminar com Claire. Fiquei feliz pra cacete fazendo esse diário e justamente porque nunca tinha feito nenhuma na minha vida e olha que já tive vários blogs. Dá um trabalhão, mas é gostoso de fazer! >.< Eu vou fechar com esse do Leon e uma analise super completa e técnica do jogo no meu review sobre ele.

Com isso ficou aqui! Felizão com Resident Evil 2 =)